16.10.07

Cartas para alguém - parte II

"São Paulo, 16 de outubro de 2007 - 01h19

O adeus é a mais ingrata de todas as certezas.

É o que vai colocar tudo o que você já soube sobre alguma coisa em dúvida. Vai transformar qualquer amanhã numa incógnita que você não conseguir resolver, mesmo que queira muito, porque você deu as costas para a solução.

Dar adeus é aceitar perder tudo aquilo que você sempre quis ter. Ou que você já teve, mas que nunca foi seu de verdade. Ou mesmo que você aceitou que jamais seria seu, mas descartou a possibilidade de realmente descobrir.

É fuga. É medo. É instinto razoável e plausível, mas que não deveria ser. É cada um para o seu canto, escondendo dores e alegrias para que não sejam mais compartilhadas. Aceitação de um ponto final em tudo aquilo que você sempre quis saber.

Você está longe. Estará o mais longe possível, por mais que esteja ao meu lado. Esta é a única certeza que eu tenho. Acabaram-se as condicionais, as discussões, as palavras. Ainda sobram dúvidas que eu devo prometer até o fim dos tempos que não irei questionar.

Ainda sobra muito de você em mim - e a recíproca há de ser verdadeira. Ao menos uma vez.

Foi-se a última dança, o último beijo e o último abraço. E que você saiba todo o seu valor e o quanto foi bom ter você por aqui. Leve isso com você e seja tudo o que você pode ser. São minhas últimas palavras.

Adeus."

3 Comments:

Anonymous Contenti said...

E nem parece toda aquela força bruta cheia de fama de bonzão...

16/10/07 01:57  
Blogger Felipe Held said...

É, você não deveria jogar rúgbi.

19/10/07 00:52  
Blogger Adriana said...

Entao...
( )Nossa.!
Manda notícias?
Bjo

21/10/07 13:48  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home