20.12.07

Questões pessoais - parte II

Alguns modos de pensar não são passageiros. Eles são construídos com base em motivos bem definidos – por mais que estes não se encontrem estruturados da maneira mais correta possível.

Só se consegue definir personalidade nos pontos mais críticos da vida. Nas viradas mais contundentes e nas decisões que parecem irreversíveis, você descobre se a pressão do resto do mundo vai deixá-lo mais frágil e volátil ou se vai querer encontrar soluções – mesmo que ilógicas ou irracionais – dentro de seu próprio mundo. O segundo caso fortalece, sem dúvidas.

Todo fim de ano traz sua reflexão. Pensamentos sobre o resultado do dualismo praticado. Nem sempre é saudável – não é uma balança justa. O ruim pesa sempre em dobro.

Mas, se o dualismo crescer a ponto de partir em dois um mundo já fortalecido, sólido, mas não imutável, o que fazer?
Se ações que deveriam ser complementares tornam-se forças opostas, para onde você corre?

Cada um com a tempestade que a própria alma merece.

1 Comments:

Blogger Allan Brito said...

Ahhh Brunela...

Controla essa tempestade ae e desencana dessas balanças de fim de ano... como vc disse, nunca é justo...

Abs!!!

25/12/07 23:02  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home