27.9.06

Sobre castelos de areia

Sonhos juvenis. Vontade de ser jovem uma outra vez, por alguns minutos. Fugir da rotina espaço/tempo e mudar o mundo com um estalar de dedos. Destruir os castelos de areia, imponentes e vagos - tudo ao mesmo tempo, que construí um dia.

(se não fossem imponentes e vagos, totalmente contraditórios, como aproveitaríamos algo da lição? A vida não funciona bem sem paradoxos.)

Castelos de areia são paixões passageiras. Estabelecemos quão grandioso deve ser o castelo, mas a idéia de fortificar suas bases jamais se faz presente. A ruína é sempre inevitável, mas nunca somos capazes de aceitá-la. É por isso que os castelos vêm e vão, um após o outro, sem jamais se tornarem fortaleza.

São beijos roubados. Palavras proferidas diante de uma multidão de sentimentos que se confundem e se atropelam. Nos confundem e nos atropelam. A bela arquitetura de nossos castelos nos ofusca, e esconde que o destino de tudo aquilo, que já deveria ser sabido desde o começo: castelos de areia nascem apenas para que o mar os desfaça.

Jimi Hendrix - Castles Made Of Sand

And so castles made of sand, melts into the sea...
...eventually.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

óóóóóóóóóó meu Deus, tadinho do meu amigo, com um blog tao bunitinho se divulgacao... vc sabe pq disso neh?
Nós sofremos esse tipo de preconceito diariamente!
hihihihi

mto bom o textinho g, lecaaal!

bjo

29/9/06 13:00  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home